• Tayná Rocha M. Pereira

A luta das mulheres pela igualdade de direitos

Descrita no primeiro inciso do Artigo 5º da Constituição Federal de 1988, a igualdade de gênero é um direito fundamental constitucionalmente assegurado e está inserida no Princípio de Isonomia; Homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição.

Muitas foram as lutas e inegáveis conquistas femininas ao longo dos anos na história que percorre o mundo. Antigamente mulheres aprendiam apenas o que remetia aos cuidados do lar e sua circulação em via pública se dava apenas em atividades da igreja ou domésticas.


De fato, conquistamos importantes direitos como ao voto, divórcio, leis de proteção, etc. Apesar de, continuamente encobrirmos pontos cruciais na luta por direitos como na área da educação onde questões sociais estão em aberto e necessitam de atenção. Por exemplo, obtemos o direito de trabalhar e estudar, mas junto desta conquista, existe o fato de que além de ser estudante e manter uma carreira profissional, continuamos ficando com a responsabilidade matriarcal e doméstica, tudo isso, sem contar com a imensa sobrecarga imposta de um padrão de beleza que nos acomete.


A decorrência desse patriarcado deixa sequelas negativas na construção sócio-familiar, sendo essa, seguida e apoiada pela religião e pelo Estado.

Obter informações e entendimento acerca da exclusão e do silenciamento feminino de antigamente não nos serve apenas para reflexão, mas também para usarmos esse conhecimento no combate efetivo a causa.


É elementar que ocorra avanço em causas feministas como a ascensão de mulheres em cargos de liderança e política, salários igualitários, entre tantos outros. E para isso precisamos de grande enfoque na condição de escolaridade, atualmente as mulheres são a maioria concluintes de ensino médio, mas sendo minoria em cursos universitários. O processo educativo precisa ser um foco.


Sendo o machismo uma construção social somente a educação possui força para desestruturá-lo. A desconstrução do patriarcado necessita ocorrer de forma que os conceitos estereotipados sejam dissolvidos, e não lhe acarretando mais formas de oprimir.



Tayná Rocha Mendes Pereira

Recepcionista do escritório De Oliveira Advogado, está cursando Engenharia Ambiental pela Universidade de Santo Amaro, possui vasta experiência em atendimento ao cliente e está focando seu desenvolvimento profissional para trabalhar com Direito Ambiental.

54 visualizações

© 2019 - Site criado por Agência Yeap!

Rua Tenente Ascelino Cunha, 580

Bairro Vila Garcez - Iguape/SP

11.920-000